Press "Enter" to skip to content

Critica: Velozes e Furiosos 8

No oitavo filme da franquia; Velozes e furiosos 8 continua contando a história de Dominic Toretto (Vin Diesel) que após a aposentadoria de seu melhor amigo Brian, está em Cuba passando sua lua de mel com sua esposa Letty Ortiz (Michelle Rodriguez), e após o aparecimento de uma mulher misteriosa chamada Cipher (Charlize Theron), Dominic terá que voltar as antigas indo contra a sua regra mais sagrada e ir contra sua família.

A franquia que apostava somente em corridas ilegais e contrabando de carros mudou seu estilo apostando em ação desenfreada e muito humor, e devo dizer que deu muito certo, o filme tem cenas empolgantes e os personagens com a ajuda do humor ficaram bem carismáticos, a interação entre Luke Hobbs (Dwayne Johnson) e Ian Shaw (Jason Statham) é uma das melhores coisas do filme.

Mas calma o filme não abandona suas raízes e um pouco de nostalgia das corridas e mulheres sensuais deixam sua marca no filme, outra coisa curiosa é como a criatividade dos filmes aumenta, o jeito de usarem os carros como forma de ação além de misturar com outros artifícios deixam o filme mais divertido para se ver.

Mas nem tudo são flores e o filme peca em coisas simples, como cenas clichês e um exagerado slow motion, além de muitos momentos se levar a sério demais destoando muito do clima divertido que tem em boa parte do filme, a vilã principal é muito boa, é impiedosa e não mede esforços para conseguir o que deseja.

Velozes e Furiosos 8 mostra mais um capítulo da jornada desses “heróis” incomuns, mesmo demonstrando um certo desgaste a franquia provou que pode continuar atraindo o público com boas cenas de ação e um humor divertido, porém continua tendo clichês que deixam o filme galhofa além de explosões em câmeras lentas que fazem parecer que o filme foi dirigido por Michael Bay (A franquia Transformes)

Se recomendo? Sim, se você quer ver um filme família em final de semana esse é o filme ideal.

Nota: 8.0

Comments are closed.